7 set 2017

Os deuses debruçam-se do parapeito da escada – exposição temporária

FACEBOOK.png

Mostram-se peças do acervo da Casa Fernando Pessoa

Júlio Pomar, Costa Pinheiro, Manuel Amado, Jorge Martins, Ana Hatherl ao lado de Almada Negreiros e muitos outros –  obras de dezoito artistas em exposição temporária  na Casa Fernando Pessoa.

Saídas das reservas da Casa Fernando Pessoa, são mostradas à luz do dia peças que captam a expressão, o movimento, os lugares ou as palavras de Pessoa. São diferentes abordagens à figura do poeta ou à matéria do poema

Revela-se, assim, a diversidade e riqueza do acervo artístico da Casa Fernando Pessoa, composto por obras de artistas de diferentes gerações e correntes artísticas.

Com esta exposição, conta-se também um pouco da história da Casa Fernando Pessoa desde a sua abertura, em 1993, e mostram-se obras recentemente doadas.

Esta mostra segue-se a Nós, os de Orpheu, exposição comemorativa do centenário da revista Orpheu, feita em parceria com o Camões IP e colaboração com o IELT  (Instituto de Estudos de Literatura Tradicional da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas) e que continua disponível para empréstimo em itinerância em escolas, bibliotecas e outros espaços.

 

Do texto da directora da Casa Fernando Pessoa, Clara Riso, sobre a exposição:

No poema «Apontamento» de Álvaro de Campos fomos encontrar o título para esta exposição. Os cacos da alma, espalhados, como astros, atapetando a escadaria dos Deuses, podem bem ser outros nomes para estas “notas” retiradas do espólio de uma Casa, que é morada e memória para além dos limites das suas paredes.(…)

Compradas ou doadas pelos autores, coleccionadores ou familiares, estas obras chegaram à Casa Fernando Pessoa, de modos muito distintos, para serem mostradas. (…)