O Museu

Na Casa Fernando Pessoa, morada do escritor nos seus últimos quinze anos de vida, é possível ver documentos, mobiliário e objectos pessoais de Fernando Pessoa, obras de artistas influenciados por ele, pela poesia ou pela literatura.

Quem visita a Casa Fernando Pessoa toma contacto com a originalidade literária de Fernando Pessoa, reconhecível pela criação dos principais heterónimos Álvaro de Campos, Alberto Caeiro, Ricardo Reis e do semi-heterónimo Bernardo Soares. Fica a conhecer também alguns detalhes da vida do escritor e da vida no tempo em que viveu, bem como a relação que manteve com outros artistas da sua geração.

Estão aqui expostos documentos da vida do poeta, como um bilhete de identidade, cartões de visita, o contrato deste arrendamento do apartamento, diplomas escolares e diversos objectos pessoais que são também testemunhos da época em que o escritor viveu.  O mais recente dos documentos a integrar o acervo da Casa Fernando Pessoa por doação da família, em Maio de 2016,  é a folha onde o escritor registou a sua última frase «I know not what tomorrow will bring», no dia 29 de Novembro de 1935, véspera da sua morte.

Última frase registada de Fernando Pessoa

Numa carta que dirigiu ao amigo e crítico literário Adolfo Casais Monteiro, Fernando Pessoa deixou escrito que terá dado voz aos seus principais heterónimos escrevendo sobre uma cómoda. Nessa mesma carta, refere-se  ao "dia triunfal" (8 de Março de 1914 é a data apontada pelo escritor para a criação dos heterónimos).

A cómoda de Fernando Pessoa
cómoda original que fazia parte do quarto de Fernando Pessoa é particularmente importante, pelo seu simbolismo, rementendo para a criação dos heterónimos

"Num dia em que finalmente desistira — foi em 8 de Março de 1914 — acerquei-me de uma cómoda alta, e, tomando um papel, comecei a escrever, de pé"

in Carta a Adolfo Casais Monteiro, 13 Janeiro de 1935

estante que serviu para Fernando Pessoa guardar os seus livros é outra das peças emblemáticas da Casa. Recorda-nos a vertente de leitor do poeta. Além desta peça de mobiliário, a Casa Fernando Pessoa é também lugar de depósito da maior parte da colecção de livros que pertenceu ao escritor. Dependendo da sua conservação, alguns destes exemplares integram a exposição permanente da Casa.

A estante de Fernando Pessoa
A estante que serviu para Fernando Pessoa guardar os seus livros está actualmente na antecâmara da reconstituição do quarto do escritor.

A totalidade da Biblioteca Particular de Fernando Pessoa está digitalizada e disponível online. Os livros que estiveram nesta estante estão agora ao alcance de todos. 

Desde que a obra de Fernando Pessoa passou a ser mais amplamente divulgada e traduzida, a sua influência fez-se sentir no trabalho de outros artistas, nomeadamente nas artes visuais. A Casa Fernando Pessoa tem construído, desde a sua abertura, uma colecção de desenhos, pinturas, esculturas e muitas destas peçaspodem também ser vistas durante a visita.

Quadro de Fernando Pessoa por Almada Negreiros
Do varandim do 1º andar da Casa Fernando Pessoa, vê-se o quadro de homenagem – “Fernando Pessoa lendo Orpheu” – retrato que o modernista português Almada Negreiros criou, em 1954, em tributo ao seu camarada e amigo.